Banner
SISTEMAS
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
LINKS
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
CENTRO INTEGRADO DE ATENDIMENTO PSICOSOCIAL
Portaria n.º 0001/2015 de 16 de outubro de 2015. PDF Imprimir
Qui, 22 de Outubro de 2015 12:14
Portaria n.º 0001/2015 de 16 de outubro de 2015. DISPÕE SOBRE A DISPENSAÇÃO DE MEDICAMENTOS JUDICIALIZADOS.

A Secretária Municipal da Saúde, na atribuição de seus poderes, conferidos por Lei.

Leia mais...
 
Plano Municipal da Saúde 2014 – 2017 e Programação Anual da Saúde : 2013 ; 2014; 2015. PDF Imprimir
Ter, 07 de Abril de 2015 09:56
São instrumentos básicos de planejamento do SUS, que devem ser utilizados pelos municípios, em obediência ao que disciplina a Constituição Federal, a Lei federal nº 8.080/90, a Lei federal nº 8.142/90, Lei Complementar nº 141, de 2012. A partir da publicação do Decreto Presidencial GM/MS Nº 7.508/2011 e da Lei Complementar Nº 141/12, o planejamento em saúde está colocado na centralidade da agenda da gestão.
O Plano Municipal da Saúde reflete as necessidades de saúde da população e os componentes de promoção, proteção, recuperação e reabilitação em saúde. Apresenta as intenções e os resultados a serem buscados no período de quatro anos expressos em diretrizes, objetivos e metas. Configura-se como base para a execução, o acompanhamento, a avaliação e o exercício da gestão do sistema de saúde, em cada esfera de governo.
O Plano Municipal de saúde é à base das atividades e programações de cada nível de direção do Sistema Único de Saúde (SUS) e seu financiamento será previsto na respectiva proposta orçamentária.
A Programação Anual de Saúde é um instrumento de programação e execução dos objetivos e metas do Plano, cabe aos Conselhos Municipais de Saúde a análise e deliberação sobre o referido instrumento que tem por objetivo apoiar o gestor na condução do SUS no âmbito de seu território, de modo que alcance a efetividade esperada na melhoria dos níveis de saúde da população e no aperfeiçoamento do Sistema.
Os instrumentos de gestão conforme a Lei 141/2012 devem estar interligados, a fim de buscar construir no SUS uma forma de atuação sistêmica.

Confira os arquivos completos do Plano Municipal da Saúde 2014 – 2017 e Programação Anual da Saúde : 2013 ; 2014; 2015 neste link
 
Plano de Combate à Dengue do Município de Assis PDF Imprimir
Ter, 24 de Março de 2015 14:52
Secretaria Municipal da Saúde de Assis, vem por meio deste, tornar público o Plano de Combate à Dengue do Município de Assis do ano Epidemiológico de 2014/2015.

O Plano é Baseado no ano Epidemiológico, que teve inicio em 30/06/2014 e vai até o término em julho de 2015.

Tal Plano pretende-se servir como um dos instrumentos de gestão das ações de saúde, que serão desenvolvidos pela Gestão Municipal no referido período.


Confira o plano nesse link
 
1 2 3

Página 3 de 3

1. PROGRAMA DE SAÚDE MENTAL

O Programa de Saúde Mental possui uma equipe composta por 01 coordenador, 02 psiquiatras, 01 enfermeira com especialização em saúde mental, 04 psicólogos, 01 assistente social, 02 auxiliares de enfermagem, 04 profissionais de nível médio que atuam em 2 programas: Ambulatório e CAPS – Centro de Atenção Psicossocial.

1.1. Ambulatório:

O ambulatório de saúde mental vem cumprindo seu objetivo de atendimento a pessoas com sofrimento psíquico que não necessitam de cuidados intensivos.

Esse atendimento acontece em forma de Pronto Atendimento (triagem); Avaliação Psiquiátrica (primeira consulta, agendamento após avaliação e encaminhamento dos psicólogos das Unidades Básicas de Saúde); acompanhamento psiquiátrico (consultas agendadas e intercorrências,), para Assis e municípios da microrregião: Borá, Cruzália, Florínea, Ibirarema, Lutécia, Platina, Pedrinhas; avaliação psicológica; atendimento psicológico aos usuários de substâncias psicoativas (acolhimento, atendimento psicoterapêutico individual e grupal, Oficinas Terapêuticas); atendimento da Assistente Social (orientação aos usuários e familiares; visitas domiciliares), atendimento da enfermagem.

Foram realizadas 7.869 (sete mil oitocentas e sessenta e nove) consultas psiquiátricas, divididas entre primeira consulta, retorno e intercorrências e 2.140 (dois mil cento e quarenta) atendimentos psicológicos divididos em triagem, avaliação psicológica e atendimento aos usuários de substâncias psicoativas.


1.2. CAPS: Centro de Atenção Psicossocial


Os CAPS – Centros de Atenção Psicossocial - são instituições do Sistema Único de Saúde (SUS), destinados a acolher pessoas de forma intensiva, personalizada e promotora de vida, que apresentam intenso sofrimento psíquico que lhes impossibilita de viver e realizar seus projetos de vida. São, preferencialmente, pessoas com transtornos mentais severos e/ou persistentes, ou seja, pessoas com grave comprometimento psíquico, incluindo os transtornos relacionados às substâncias psicoativas (álcool e outras drogas) e, também, crianças e adolescentes com transtornos mentais.

Os CAPS se constituem por ordem crescente de porte/complexidade e abrangência populacional em CAPS I, II e III para adultos com transtornos mentais severos e persistentes; CAPSi – para crianças e adolescentes que apresentam transtorno mental e CAPSad – para usuários de álcool e drogas.

Assis conta um Centro de Atenção Psicossocial II – para adultos com transtornos mentais severos e persistentes, cadastrado no ano de 2003 que se chama “Ruy Souza Dias”.
Considerando a Portaria GM/MS nº. 336, de 19 de fevereiro de 2002, um CAPS II comporta atender no máximo até 220 (duzentos e vinte) pacientes/mês, divididos em três modalidades de acordo com a necessidade de permanência do paciente no serviço: intensiva (dia todo), semi-intensiva (2 ou 3 vezes por semana) e não-intensiva (até 03 vezes ao mês) e contar com uma equipe de 01 (um) médico psiquiatra; 01 (um) enfermeiro com especialização em saúde mental, 04 (quatro) profissionais de nível superior (psicólogos, assistente social, terapeuta ocupacional) e 06 (seis) profissionais de nível médio (auxiliares de enfermagem, administrativo, artesão, técnico educacional).

Atualmente estamos atendendo 218 (duzentos e dezoito) paciente/mês, divididos em 50 (cinqüenta) intensivos, 70 (setenta) semi-intensivos e 98 (noventa e oito) não intensivos.

As atividades oferecidas são: Psicoterapia Individual ou em grupo; avaliação e acompanhamento psiquiátrico; atendimento da enfermagem; atendimento da assistente social; cuidados com a família; ambiência; busca ativa; visitas domiciliares; Oficinas Terapêuticas (Oficina de Expressão Artística; da Palavra; do Jornal “A Voz dos Pacientes”; Áudio-Visual; Expressão Sonora; Culinária; Expressão Corporal; Banda LOKONABÔA; Cuidados Pessoais da Vida Diária); Oficinas de Geração de Renda; participação do usuário na PIRASSIS – Associação dos Usuários, Familiares e Amigos da Saúde Mental de Assis.

Contamos também com aprimorandos do Programa de formação profissional em saúde mental pública, em parceria com o curso de Psicologia da UNESP  – Campos de Assis e com o Departamento Regional de Saúde DRS-IX de Marília.

Através de um Convênio com a Universidade Júlio de Mesquita Filho – UNESP/Assis, curso de Psicologia oferecemos estágio curricular junto ao projeto “A clínica na Atenção Psicossocial: a saúde mental no contexto da saúde coletiva”, supervisionado pelo Prof. Dr. Abílio da Costa Rosa e ao Projeto “Modo Psicossocial e Assistência na Saúde Mental Coletiva”, supervisionado pelo Prof. Dr. Silvio Yasui.

Nova chamada para projetos de Supervisão Clínica e Institucional foi feita pelo Ministério da Saúde. Seriam selecionados 150 (cento e cinqüenta) novos projetos. Somente 02 (dois) projetos obtiveram autorização de continuar seu trabalho, entre eles o CAPS de Assis.

Em relação às internações psiquiátricas, o parâmetro da Portaria nº. 1101, de 12/06/2002, são de 268 (duzentas e sessenta e oito) solicitações de internações psiquiátricas/ano. Ressaltamos que o Programa de Saúde Mental realizou 172 (cento e setenta e duas) solicitações de internações, portanto 36% a menos do que preconiza a Portaria.

Importante destacar que dessas 172 (cento e setenta e duas) solicitações de internação 65% foram por uso abusivo de substâncias psicoativas. Observando esse índice reduzido de solicitação de internação para transtornos psicóticos, podemos concluir a importância que o trabalho psicossocial como método alternativo de internação psiquiátrica é a saída para o cuidado dos pacientes com sofrimento psíquico severo.

ENDEREÇO

Avenida Félix de Castro, 901

TELEFONE

(18) 3321-3666

mod_vvisit_counterHOJE181
mod_vvisit_counterONTEM230
mod_vvisit_counterESTA SEMANA181
mod_vvisit_counterÚLTIMA SEMANA4101
mod_vvisit_counterESTE MÊS10698
mod_vvisit_counterULTIMO MÊS17220
mod_vvisit_counterTOTAL1657321
Banner
Desenvolvido por Thiago Henrique - Coordenado pelo Departamento de Tecnologia da Informação - Secretaria Municipal da Saúde de Assis